sábado, 12 de maio de 2007

Crónica de um jornalista em viagem.


Imagem e Edição de João Duarte

Nem foi preciso bater à porta. Ela já estava entreaberta. Uma senhora de cabelos brancos aproxima-se e dá as boas tardes.
Eu estava praticamente no meio do nada, e aquela era uma das poucas casas à vista de momento naquela aldeia. Pelo menos com sinais de ser habitada.
Digo que, por estranho que possa parecer, tudo o que eu mais precisava naquele segundo era de uma tomada de electricidade. Para ligar o computador portátil.
Aquela senhora nunca me tinha visto de lado nenhum, e no entanto deixou-me entrar. Indicou-me uma tomada à entrada e disponibizou-me uma mesa. Mas a maldita placa 3G voltava a não ter rede suficiente. “Essa rede nunca apanha muito aqui”, diz o marido que entretanto apareceu, perante a cara de desespero do jornalista que precisa de enviar trabalho. Oferece-me depois a sala. Mas mais uma vez nada. Depois o quarto. Tudo na mesma. Maldita placa, que só me dá dores de cabeça!
Quase a perder a esperança, vou lá para fora. Uma brecha, um mínimo de rede. O suficiente para enviar qualquer coisa. Sem ter de pedir, o senhor liga-me uma extensão eléctrica para o portátil na rua. Depois vai buscar um chapéu de sol. E só tenho na memória a pergunta insistente :”Do que é que precisa mais?”.
Esta era uma pessoa que eu não conhecia de lado nenhum. E ali estava a dar-me a sua casa.
Despachado o trabalho, agradeço-lhe por ter salvo o meu dia e digo que não me posso despedir sem saber o seu nome. E responde:

- “Manuel Girão... até ver!”.
- “Até ver não... até girar!”, brinca a mulher Deolinda.

E entre um ataque de riso, prometo que se alguma vez voltar àquelas paragens, seja por causa de Fátima ou qualquer outro motivo, venho com certeza cumprimentá-los. Ao que eles me respondem:

-“Venha então. Mas avise antes, que é para prepararmos o almoço!”

4 comentários:

cmcc disse...

Fantástica "estória" JD.

É muito bom saber que ainda se encontra pessoas assim.

Boa Viagem Amigo
Estás quase :-)

Paulo disse...

Caros Peregrinos, Muito Bom Dia!
Mais Simão de Cirene não é João?!!
É por estas e por outras que tenho Muito Orgulho de ser Português e Cristão, que Deus me perdoe!:-)
Um forte abraço!
Voltarei depois com alguns versos!
Rezem um pouco para que seja o instrumento exacto do Espírito Santo que nos ilumina a todos!

Paulo disse...

Nossa Senhora à Vista!!!

Vão chegando os Peregrinos
À Senhora de braços abertos
E são como que milhares de meninos
Pela manhã de Natal despertos!

Que Paz!!! Que serenidade!!! Que Brisa!!!
Que perfume no ar se instala
É mesmo do que o Peregrino precisa
E agora é o seu olhar que Fala!

Perdido e só entre milhares
Mas único e Amado por Deus
Procura no abraço apertado a seus pares

O consolo aos males seus
E respira fundo aqueles ares
Vindos do sopro de Deus!

12 de Maio de 2007
Coragem que falata Muito Pouco!!!

Anónimo disse...

Extraordinário: das lágrimas ao riso!